up load

link bom de faro

zurra

quinta-feira, 1 de setembro de 2011

Para ser bonita precisa de pouco.

Artesanato uma forma de ficar bonita

Autor: Licio Morais

ARTE NÃO É INDÚTRIALIZAR EM SÉRIE

A arte não imita a vida. A arte dar maior glamour a beleza da vida. Com a moda aprendemos que a indústria deve ditar as regras de como nos vestimos ou com quem devo me parecer. Nóssa sociedade em sua maioria atende a este apelo e cai no erro da repetição da série e diz que é enovação com uma nova onda de repetição de gênero.

Que contraditório. Beleza em uma loja, pode estar na exclusividade, os modelos maravilhosos e que fazem de você uma pessoa realmente especial e não um produto em série. Vista e use aquilo que é bonito e você goste. Ajude a inventar o que você vai vestir ou calçar. Procure estas empresas procure a beleza em artesanato ou roupas que te dão uma maior possibilidade de usar algo realmente especial e que seja você.

AS VANTAGENS DE SER EXCLUSIVA EM SEU VISUAL

O melhor da moda é aquela que você faz. Copiar não é moda, se fosse assim não se lançaria novas tendências e sim o mundo da moda seria uma cópia sem mudanças nos estilos e linhas. Enovação na moda industrializada é uma mudança, mas para outra série. Uma verdadeira imposição do que se vestir, calçar e até se vê. Seja a enovação, aposte na exclusividade. As lojas na internet e nos shopping também fazem parte deste mertiê de opções. Hoje o que era tão artesanal está em todo lugar. Existem grifes das mais caras que só oferece exclusividade e o artesanal. Você realmente precisa estar atento(a) para as tendências dos maiores  e exclusivos nomes da moda a LOJA BELEZA tem apostado nestas possibilidades. Veja as opções e nos ajude a criar seu próprio visual. Não seja a vida toda um(a) copiador(a) e acredite que as possibilidades de estar na moda e ser diferente pode ser duas coisas que você tem juntas.

Se atualize e faça a moda e não seja feito por ela. Acredite, o diferente sempre é o melhor, mas as vezes só queremos copiar e repetir, até por que é o mais fácil. Conheça a beleza em uma loja de artesanato e exclusividade. Precisamos sempre buscar o bonito, o que te deixa bonita(o) e sem estar tão comprometido com a imposição da indústria da moda que coloca milhares de pessoas com a mesma imagem e dizem que isto é moda. Moda é molde exclusivo. Você precisa fazer diferente e ser aquele(a) que vão te perguntar: Onde eu posso ter um igual a este?

/arte-artigos/artesanato-uma-forma-de-ficar-bonita-4752573.html

Perfil do Autor

Promovemos a arte, o artesanatto e a forma de se vestir. Acreditamos na beleza do artesanato e que o exclusivo te faz mais importante e te deixa em destaque. Fazemos a moda

Artesanato uma forma de ficar bonita

Autor: Licio Morais

ARTE NÃO É INDÚTRIALIZAR EM SÉRIE

A arte não imita a vida. A arte dar maior glamour a beleza da vida. Com a moda aprendemos que a indústria deve ditar as regras de como nos vestimos ou com quem devo me parecer. Nóssa sociedade em sua maioria atende a este apelo e cai no erro da repetição da série e diz que é enovação com uma nova onda de repetição de gênero.

Que contraditório. Beleza em uma loja, pode estar na exclusividade, os modelos maravilhosos e que fazem de você uma pessoa realmente especial e não um produto em série. Vista e use aquilo que é bonito e você goste. Ajude a inventar o que você vai vestir ou calçar. Procure estas empresas procure a beleza em artesanato ou roupas que te dão uma maior possibilidade de usar algo realmente especial e que seja você.

AS VANTAGENS DE SER EXCLUSIVA EM SEU VISUAL

O melhor da moda é aquela que você faz. Copiar não é moda, se fosse assim não se lançaria novas tendências e sim o mundo da moda seria uma cópia sem mudanças nos estilos e linhas. Enovação na moda industrializada é uma mudança, mas para outra série. Uma verdadeira imposição do que se vestir, calçar e até se vê. Seja a enovação, aposte na exclusividade. As lojas na internet e nos shopping também fazem parte deste mertiê de opções. Hoje o que era tão artesanal está em todo lugar. Existem grifes das mais caras que só oferece exclusividade e o artesanal. Você realmente precisa estar atento(a) para as tendências dos maiores  e exclusivos nomes da moda a LOJA BELEZA tem apostado nestas possibilidades. Veja as opções e nos ajude a criar seu próprio visual. Não seja a vida toda um(a) copiador(a) e acredite que as possibilidades de estar na moda e ser diferente pode ser duas coisas que você tem juntas.

Se atualize e faça a moda e não seja feito por ela. Acredite, o diferente sempre é o melhor, mas as vezes só queremos copiar e repetir, até por que é o mais fácil. Conheça a beleza em uma loja de artesanato e exclusividade. Precisamos sempre buscar o bonito, o que te deixa bonita(o) e sem estar tão comprometido com a imposição da indústria da moda que coloca milhares de pessoas com a mesma imagem e dizem que isto é moda. Moda é molde exclusivo. Você precisa fazer diferente e ser aquele(a) que vão te perguntar: Onde eu posso ter um igual a este?

/arte-artigos/artesanato-uma-forma-de-ficar-bonita-4752573.html

Perfil do Autor

Promovemos a arte, o artesanatto e a forma de se vestir. Acreditamos na beleza do artesanato e que o exclusivo te faz mais importante e te deixa em destaque. Fazemos a moda

Artesanato uma forma de ficar bonita

Autor: Licio Morais

ARTE NÃO É INDÚTRIALIZAR EM SÉRIE

A arte não imita a vida. A arte dar maior glamour a beleza da vida. Com a moda aprendemos que a indústria deve ditar as regras de como nos vestimos ou com quem devo me parecer. Nóssa sociedade em sua maioria atende a este apelo e cai no erro da repetição da série e diz que é enovação com uma nova onda de repetição de gênero.

Que contraditório. Beleza em uma loja, pode estar na exclusividade, os modelos maravilhosos e que fazem de você uma pessoa realmente especial e não um produto em série. Vista e use aquilo que é bonito e você goste. Ajude a inventar o que você vai vestir ou calçar. Procure estas empresas procure a beleza em artesanato ou roupas que te dão uma maior possibilidade de usar algo realmente especial e que seja você.

AS VANTAGENS DE SER EXCLUSIVA EM SEU VISUAL

O melhor da moda é aquela que você faz. Copiar não é moda, se fosse assim não se lançaria novas tendências e sim o mundo da moda seria uma cópia sem mudanças nos estilos e linhas. Enovação na moda industrializada é uma mudança, mas para outra série. Uma verdadeira imposição do que se vestir, calçar e até se vê. Seja a enovação, aposte na exclusividade. As lojas na internet e nos shopping também fazem parte deste mertiê de opções. Hoje o que era tão artesanal está em todo lugar. Existem grifes das mais caras que só oferece exclusividade e o artesanal. Você realmente precisa estar atento(a) para as tendências dos maiores  e exclusivos nomes da moda a LOJA BELEZA tem apostado nestas possibilidades. Veja as opções e nos ajude a criar seu próprio visual. Não seja a vida toda um(a) copiador(a) e acredite que as possibilidades de estar na moda e ser diferente pode ser duas coisas que você tem juntas.

Se atualize e faça a moda e não seja feito por ela. Acredite, o diferente sempre é o melhor, mas as vezes só queremos copiar e repetir, até por que é o mais fácil. Conheça a beleza em uma loja de artesanato e exclusividade. Precisamos sempre buscar o bonito, o que te deixa bonita(o) e sem estar tão comprometido com a imposição da indústria da moda que coloca milhares de pessoas com a mesma imagem e dizem que isto é moda. Moda é molde exclusivo. Você precisa fazer diferente e ser aquele(a) que vão te perguntar: Onde eu posso ter um igual a este?

/arte-artigos/artesanato-uma-forma-de-ficar-bonita-4752573.html

Perfil do Autor

Promovemos a arte, o artesanatto e a forma de se vestir. Acreditamos na beleza do artesanato e que o exclusivo te faz mais importante e te deixa em destaque. Fazemos a moda

sábado, 23 de julho de 2011

Se esta rua fosse minha!!


Desde bem pequenos, aprendemos a falar e fazer coisas que nos ajudam a nos sentirmos mais seguros. Usamos expressões que nos afastam de algum erro, e para isto usamos uma ameaça de medo. Como por exemplo: “dorme nenem se não o bicho vem pegar”. Uma forma de convencer a criança de dormir, tendo que ameaçá-la ter que passar por uma situação de extremo perigo. E era exatamente isto que as crianças pensavam. Desta forma já há muitas gerações estamos orientando crianças. O estímulo a fazer algo pelo benefício é o mais eficaz, porém, o menos usado, com isto nossa forma de pensar segue acompanhando estes padrões. E os cientistas tem tanta certeza disto que usam estes nossos “medos” para nos estimular a comprar coisas, sabia. Durante muito tempo se pensou que falar de morte assustaria as pessoas e elas não gostariam de pensar nisto. Hoje, a publicidade anuncia produtos ligados a morte com maior facilidade. Planos funerais, seguros de vida e outras vantagens para diminuir os problemas que acontecem na hora da morte. E a verdade é que estamos impregnados de medos e certezas de inseguranças. Parecem palavras antônimas, seriam se neste contexto não se pudesse escrevê-las como complemento uma da outra. Esta forma de escrever tenta descrever como nossa opinião formada nos impede de pensar de forma mais racional, isto mesmo, com a razão sobre certas situações. É exatamente por isto que os responsáveis por informações acreditam poder nos fazer pensar de uma forma sobre o determinado acontecimento. Eu posso achar que todos aviões caem, ou, que muitos aviões caem todas as vezes que ouço uma notícia de acidente com aviões. Já observou que quando se noticia de um acidente aéreo se cita pelo menos outros três. E acaba parecendo que a proporção de aviões que caem é muito grande. E não é verdade. Não achamos natural que caiam aviões, só não concordamos que as notícias tenham que ser tão aterrorizantes. Se você observar quando se noticia um acidente automobilístico, não se fala nem das estatísticas. Precisamos a cada dia tentar amenizar nossos medos pensando sobre aquele assunto de forma eficaz e buscando as respostas que realmente serão esclarecedoras para nosso conhecimento sobre algo e as nossas tomadas de decisões.

quinta-feira, 14 de julho de 2011

Diferenças. Já pensou nisto?

Normalmente, acreditamos que o nosso modo de ser impera no mundo. E quando usamos este principio para os nossos relacionamentos, nos deparamos com as seguintes realidades:
Frustrações - As pessoas que estão ao meu redor, por mais que cultivemos um bom sentimento, não fazem as coisas da forma que eu penso. De um modo inconsciente acreditamos que o mundo sendo do nosso "jeitinho" é melhor. Pode até ser muito agradável, mas se o outro também pensa desta forma, o que normalmente é verdade, como esta relação se dará? Então, precisamos enquanto, nossos relacionamentos, sejam, em nossa escola, família, igreja e relacionamentos amorosos, pensar que existe uma importância incrível no ideal dos outros.
Insegurança - No trabalho de equipe devemos entender os objetivos individuais, para avaliar o quanto aquele grupo está envolvido no propósito único. A verdade é que mesmo que uma pessoa se una a um grupo que já tem o objetivo traçado, não é verdade que ela já inicie, com as convicções do grupo. Para isto, buscamos traçar metas e formas de se alcançar o objetivo principal. Porém, nunca deixando de avaliar o novo, o diferente. pode ser que uma idéia nova, diferente some as formas já estabelecidas, um grande potencial para o serviço do grupo. O que queremos se fazer pensar neste artigo é que, as diferenças no grupo, na família ou em qualquer âmbito social que nos integramos, são inevitáveis, e devem ser alvo de atenção, e encararmos como algo de motivo racional, e não simplesmente, emocional, como ocorre na maioria das vezes e impede um bom desenvolver nos relacionamentos.

sábado, 2 de julho de 2011

Qual é a história certa?

Nós precisamos mais prestar a atenção em que se conta para nós, principalmente, quando estamos nos noticiários e informações em tele jornais e programa de reportagem. Nós estamos sempre pensando em coisas que querem que pensemos. Por exemplo, há dois meses atrás as noticias estavam voltadas para revoltas populares na Líbia, em um momento muito propício, em que estava se aludindo sobre a morte de Bin Laden. Isto nos faz pensar que no oriente existem pessoas que só fazem mal. Porém, nos esquecemos que o governo americano vai ao oriente médio e faz mais vítimas que qualquer guerra real.E isto nos faz pensar sobre um governo defensor da democracia, onde lhe dá direito de matar em território de outra nação. E neste momento os americanos estão querendo para com qualquer ação militar dos Estados unidos, mas, para o mundo "virtual" está tudo bem. Eles resolveram os problemas. Assim é que acontece. Eu escrevi algumas informações que não aparecem de frente, estão sempre nos bastidores, até ouvimos, mas não são elas que querem que prestemos atenção. Eu acredito que estou escrevendo sobre esta percepção mais uma vez para ficarmos alertas aos motivos destas manipulações. Em breve estarei escrevendo mais. Veja as outras postagens e blogs que escrevemos em meu perfil completo.

Licio Morais

quinta-feira, 16 de junho de 2011

Onde as crianças dormem

Onde as crianças pelo mundo dormem

Por Admin em Imagens em 02-04-2011

James Mollison viajou ao redor do mundo e decidiu criar uma série de fotografias mostrando os quartos infantis por onde passava. As fotografias foram depois compiladas em um livro intitulado Onde as criança dormem. Cada par de fotografias é acompanhada por uma legenda estendida que conta a história da criança. As diferenças entre um e outro espaço do sono é impressionante.
Mollison nasceu no Quênia em 1973 e cresceu na Inglaterra. Depois de estudar arte e design na Universidade de Oxford Brookes, e cinema e fotografia em Newport School of Art and Design, ele se mudou para a Itália para trabalhar no laboratório criativo da fábrica da Benetton.

O projeto tornou-se uma referência de pensamento crítico sobre a pobreza e a riqueza, sobre a relação das crianças com as suas posses -ou a falta delas-. O fotógrafo espera que seu trabalho ajude outras crianças a pensar sobre a desigualdade no mundo, para que, talvez, no futuro pensem como agir para diminuir esta diferença.

Lamine, 12 anos, vive no Senegal. As camas são básicas, apoiadas por alguns tijolos. Aos seis anos, todas as manhãs, os meninos começam a trabalhar na fazenda-escola onde aprendem a escavação, a colheita do milho e lavrar os campos com burros. Na parte da tarde, eles estudam o Alcorão. Em seu tempo livre, Lamine gosta de jogar futebol com seus amigos.

Tzvika, nove anos, vive em um bloco de apartamentos em Beitar Illit, um assentamento israelense na Cisjordânia. É um condomínio fechado de 36.000 Haredi. Televisões e jornais são proibidos de assentamento. A família média tem nove filhos, mas Tzvika tem apenas uma irmã e dois irmãos, com quem divide seu quarto. Ele é levado de carro para a escola onde o esporte é banido do currículo. Tzvika vai à biblioteca todos os dias e gosta de ler as escrituras sagradas. Ele também gosta de brincar com jogos religiosos em seu computador. Ele quer se tornar um rabino, e sua comida favorita é bife e batatas fritas.

Jamie, nove anos, vive com seus pais e irmão gêmeo e sua irmã em um apartamento na quinta Avenida em Nova Iorque. Jamie frequenta uma escola de prestígio e é um bom aluno. Em seu tempo livre, ele faz aulas de judô e natação. Quando crescer, quer se tornar um advogado como seu pai.

Indira, sete anos, vive com seus pais, irmão e irmã, perto de Kathmandu, no Nepal. Sua casa tem apenas um quarto, com uma cama e um colchão. Na hora de dormir, as crianças compartilham o colchão no chão. Indira trabalha na pedreira de granito local desde os três anos. A família é muito pobre para que todos tenham que trabalhar. Há 150 crianças que trabalham na pedreira. Indira trabalha seis horas por dia além de ajudar a mãe nos afazeres domésticos. Ela também freqüenta a escola, a 30 minutos a pé. Sua comida preferida é macarrão. Ela gostaria de ser bailarina quando crescer.


Kaya, quatro anos, mora com os pais em um pequeno apartamento em Tóquio, Japão. Seu quarto é forrado do chão ao teto com roupas e bonecas. A mãe de Kaya faz todos os seus vestidos e gostos -Kaya tem 30 vestidos e casacos, 30 pares de sapatos, perucas e um sem contar de brinquedos. Quando vai à escola fica chateada por ter que usar uniforme escolar. Suas comidas favoritas são a carne, batata, morango e pêssego. Ela quer ser cartunista quando crescer.


Douha, 10, mora com os pais e 11 irmãos em um campo de refugiados palestinos em Hebron, na Cisjordânia. Ela divide um quarto com outras cinco irmãs. Douha freqüenta uma escola, a 10 minutos a pé, e quer ser pediatra. Seu irmão, Mohammed, matou 23 civis em um ataque suicida contra os israelenses em 1996. Posteriormente, os militares israelenses destruíram a casa da família. Douha tem um cartaz de Maomé em sua parede.

Jasmine (Jazzy), quatro anos, vive em uma grande casa no Kentucky, EUA, com seus pais e três irmãos. Sua casa é na zona rural, rodeada por campos agrícolas. Seu quarto é cheio de coroas e faixas que ela ganhou em concursos de beleza. A garota já participou de mais de 100 competições. Seu tempo livre é todo ocupado com os ensaios. Jazzy gostaria de ser uma estrela do rock quando crescer.

A casa para este garoto e sua família é um colchão em um campo nos arredores de Roma, Itália. A família veio da Romênia de ônibus, depois de pedir dinheiro para pagar as passagens. Quando chegaram em Roma, acamparam em terras particulares, mas foram expulsos pela polícia. Eles não têm documentos de identidade, de forma que não conseguem um trabalho legal. Os pais do garoto limpam pára-brisas de carros nos semáforos. Ninguém de sua família foi um dia para a escola.

Dong, nove anos, vive na província de Yunnan, no sudoeste da China, com seus pais, irmã e avó. Ele divide um quarto com a irmã e os pais. A família tem uma propriedade que permite cultivar quantidade suficiente de seu próprio arroz e cana de açúcar. A escola de Dong fica a 20 minutos a pé. Ele gosta de escrever e cantar. Na maioria das noites, ele passa uma hora fazendo o seu dever de casa e uma hora assistindo televisão. Dong gostaria de ser policial.

Roathy, oito anos, vive nos arredores de Phnom Penh, Camboja. Sua casa fica em um depósito de lixo enorme. O colchão de Roathy é feito de pneus velhos. Cinco mil pessoas vivem e trabalham ali. Desde os seis anos, todas as manhãs, Roathy e centenas de outras crianças recebem um banho em um centro de caridade local, antes de começar a trabalhar, lutando por latas e garrafas de plástico, que são vendidos para uma empresa de reciclagem. Um pequeno lanche é muitas vezes a única refeição do dia.

Thais, 11, mora com os pais e a irmã no terceiro andar de um bloco de apartamentos no Rio de Janeiro, Brasil. Ela divide um quarto com a irmã. Vivem nas vizinhanças da Cidade de Deus, que costumava ser conhecida por sua rivalidade de gangues e uso de drogas. Thais é fã de Felipe Dylon, um cantor pop, e tem pôsteres dele em sua parede. Ela gostaria de ser modelo.

Nantio, 15, é membro da tribo Rendille no norte do Quênia. Ela tem dois irmãos e duas irmãs. Sua casa é uma pequena barraca feita de plástico. Há um fogo no centro, em torno do qual a família dorme. As tarefas de Nantio incluem cuidar de caprinos, cortar lenha e carregar água. Ela foi até a escola da aldeia por alguns anos, mas decidiu não continuar. Nantio está esperando o seu moran (guerreiro) para casar. Ela só tem um namorado no momento, mas não é incomum para uma mulher Rendille ter vários namorados antes do casamento.

Joey, 11, mora em Kentucky, EUA, com seus pais e irmã mais velha. Ele acompanha regularmente o seu pai em caçadas. Ele é dono de duas espingardas e uma besta, e fez sua primeira vítima -um cervo- quando tinha sete anos. Ele está esperando para usar sua besta durante a temporada de caça seguinte. Ele ama a vida ao ar livre e espera poder continuar a caçar na idade adulta. Sua família sempre come carne de caça. Joey não concorda que um animal deve ser morto só por esporte. Quando não está caçando, Joey freqüenta a escola e gosta de ver televisão com o seu lagarto de estimação, Lily.
Fonte: James Mollison.

quarta-feira, 25 de maio de 2011

Vamos conversar.

Sempre que pensamos em novo é um desafio. Estamos vivendo um momento que o novo acontece com muita frequencia. E todo sistema vai de igual modo. Se a informação chega agora, daqui a pouco a informação não é mais a mesma. As mentiras se tornam verdade e nem se quer dá tempo de questionar, pois, apagam a informação com algo novo e aí, ninguém mais se importa. Precisamos ter uma maior atenção sobre aquilo que nos informam e aquilo que realmente importa. Não se pode deixar que as verdades estejam sempre naquilo que lemos. Qual é o objetivo desta matéria. É iniciar uma avaliação de nossas atitudes diante do novo. Analisamos? Tentamos saber mais? É na verdade sempre precisamos parar para verificar e tentar saber, é saber de verdade, sem nenhuma restrição na forma de pensar. Intervenha depois de uma nova proposta. Avalie se o momento é de seguir ou parar. Parar? É! Parar para fazer melhor, ser superior.

Licio Morais
Também conheça nossa LOJA.
LOJA BELEZA

sexta-feira, 13 de maio de 2011

EU, EU QUEM?

É muito comum vermos a imagem de uma pessoa executando uma tarefa, participando de um desafio ou participando de um jogo. E acontece que diante desta situação nós tentamos dar palpites, dizemos ainda " se fosse eu" e acreditamos que é possível fazer de outra forma e conseguir resultados diferentes daqueles que as pessoas que estão envolvidas nestes negócios estão fazendo.

È! Não é fácil sermos nós mesmos, é mais fácil se nós tentarmos pensar que ser o outro me deixa mais potente.

O que acredito que precisa é, a cada dia mais, saber que a melhor forma de viver a vida é reconhecer quem somos e sermos sinceros conosco sobre nossas verdadeiras limitações e até sobre nosso potencial. Isto sim, nos faz pessoas realmente realizadoras e suficientes para nossos próprios desafios.

SER É UMA VONTADE. DESEJE !

"Ser ou não ser?". Shakespeare escreveu uma das maiores histórias da dramaturgia, mas com uma descrição muito real. As questões que envolvem todos os homens e mulheres. desilusões, traições, dúvidas, medos e muito mais. A incerteza se a morte é a verdadeira saída para a angústia. "Morrer ou dormir, é uma consumação". Parece uma afirmação, mas Shakespeare passa aqui que esta é mais uma questão da existência, "Talvez sonhar: eis onde surge o obstáculo: Pois quando livres do tumulto da existência,
No repouso da morte, o sonho que tenhamos; Devem fazer-nos hesitar: eis a suspeita que impõe tão longa vida aos nossos infortúnios.". Mesmo que muitos acreditem que a morte seja solução para suas lamentações, ainda assim deseja muito continuar tentando vivo um novo momento. Certamente não diferente para os cristãos e sua grande maioria deseja muito mais este mundo a estar em eternidade com a promessa de vida eterna. Precisamos nos descolar desta existência com uma visão das promessas da eternidade. Com esta visão materialista de se livrar deste mundo com medidas paliativas e usando a religião ao invés a verdadeira e digna de aceitação a palavra de Deus. "Esta é uma palavra fiel, e digna de toda a aceitação, que Cristo Jesus veio ao mundo, para salvar os pecadores, dos quais eu sou o principal." 1 Timóteo 1:15

Que falsa ilusão se perpetua em nossa mente e também exposta aqui na fala de Hamlet: "E em luta pôr-lhes fim? Morrer.. dormir: não mais. Dizer que rematamos com um sono a angústia." O que passamos nesta vida é para todos as vezes de diferente forma, tanto o bem como o mal, contudo precisamos ter certezas e não vivermos com dúvidas que muitas vezes são mais fáceis, que respostas que não queremos ouvir. " Ser ou não ser?".
Mas, se somos atribulados, é para vossa consolação e salvação é; ou, se somos consolados, para vossa consolação e salvação é, a qual se opera suportando com paciência as mesmas aflições que nós também padecemos; 2 Coríntios 1:6

PRECISO DAR UM TEMPO

Quem teve a idéia de cortar o tempo em fatias, a que deu o nome de ano, foi um indivíduo genial. Industrializou a esperança fazendo-a funcionar no limite da exaustão. Doze meses dão para qualquer ser humano se cansar e entregar os pontos. Aí entra o milagre da renovação e tudo começa outra vez, com outro número e outra vontade de acreditar que daqui para diante vai ser diferente.


CARLOS DRUMOND DE ANDRADE

sexta-feira, 6 de maio de 2011

Que papo é esse Obama? Cadê Osama

As últimas notícias parecem serem tão inconsistentes quanto as primeiras. Quando em 1988 a AL QAEDA foi anunciada para o mundo, parecia que realmente um grande poder estava surgindo.


O grupo que fez um dos acordos mais milionários da história do mercado de armas para derrubar a Uniáo Soviética, acordo este feito com os EUA e seus sempre aliados, agora parece ser o inimigo. É muito estranho, mas se você tiver boa memória vai lembrar que a AL QAEDA nunca assumiu a autoria dos atentados de 11 de setembro, estranho, eles fazem questão de assumir seus atentados e sendo autores do maior atentado da história da humanidade, não querem assumir. Percebe. Dificil pensar. Alguns fatos confrontados causam um certo desconforto. Quem realmente estava dentro daqueles aviões?
Aqui você verá um vídeo. Não estou te mostrando a verdade, simplesmente estou te dando uma possibilidade de ver por outro ângulo. Lembra das armas que tinham no Iraque? Numca foram encontradas. E aí você acredita que eles falam a verdade. Enquanto fazem isto no país dos outros tudo bem. E quando acharem que nós precisamos de ser controlados por eles. O que falarão de nós?
Mais imagem: Não acredite, mas pelo menos, pense. Precisamos lidar com as contradições e buscar a verdade.

quinta-feira, 14 de abril de 2011

Quem mata crianças ?

Quando acontece situações como estas que tivemos conhecimento em uma escola municipal no Rio de Janeiro, em que um ato brutal e monstruoso tirou vida de crianças, nós achamos que isto é um ato isolado e esta é a pior forma em que crianças morrem, assassinadas. É, mas isto na verdade, é o resultado de nossa hipocrisia. Ainda nesta semana deste ato que nós resolvemos dar mais atenção. Um bombardeio e uma força bélica que diz está defendendo o povo Líbio, lamenta ter errado o alvo e matado diversos inocentes, os mesmos que eles dizem estar lá para defender. Entre estes muitas crianças que não vão ser contadas e nem se que saberemos um nome. Segundo as Nações Unidas hoje poderá está morrendo 35 crianças de fome no mundo. Claro que é uma média, pode ser maior ou menor hoje.Em 4 anos 994 crianças foram oficialmente mortas pelo tráfico de drogas no México.E 80% destas crianças não tinham nenhuma ligação com drogas. E se tivesse? Mais de 92.000 civis foram mortos na guerra no Iraque. Não contam as crianças para não se mostrar quanto são monstros.Obama olha uma apresentação de capoeira na comunidade do Chapéu Mangueira.

Onde já havia participado de reuniões para lançar mísseis indiscriminadamente na Líbia. Batemos palmas para o governante do país que mais já matou inocentes, principalmente crianças no mundo todo. E podia ficar no passado, mas não, continua a história. Quais os interesses. Dependendo dos interesses dizemos se vale à pena de matar crianças ou não. A pergunta é, por que alguém faz isto? Será que se o Wellington pudesse responder, suas razões nós compreederíamos? Como os grandes governantes fazem. Como nossa sociedade faz. Que dizem que tem que para um ditador que mata seu povo. E vão lá e continuam matando o povo, mas não o seu diretamente. A sociedade que compra games com armas, treinamento para atiradores, e chama isto de diversão. Quando não estão elogiando os traficantes que mantém a ordem na comunidade, muitas vezes, matando crianças. É bom pararmos para refletir. Quem mata crianças?

sábado, 12 de março de 2011

Os terremotos. O que são?

ORIGEM DOS TERREMOTOS

É um movimento brusco e repentino do terreno resultante de um falhamento. Portanto, a ruptura da rocha é o mecanismo pelo qual o terremoto é produzido.

As rochas comportam-se como corpos elásticos e podem acumular deformações quando submetidas a esforços de compressão ou de tração. Quando este esforço excede o limite de resitência da rocha esta se rompe ao longo de um plano, novo ou pré-existente de fratura, chamado FALHA.

FALHAS GEOLÓGICAS

A quase totalidade dos terremotos tem origem tectônica, isto é, estão associados a falhamentos geológicos.

Entretanto, terremotos podem ser também ocasionados por atividades vulcânicas ou pela própria ação do homem que, neste caso, recebe a denominação de sismos induzidos. Como exemplos significativos temos os sismos produzidos por explosões nucleares ou gerados pela criação de grandes reservatórios hidrelétricos.


INTERIOR DA TERRA

Como se pode conhecer as camadas geológicas abaixo de nossos pés e outras estruturas localizadas no interior e no centro da Terra, situado a cerca de 6370 km de profundidade? Por meio de perfurações o homem tem acesso, direto, apenas, aos primeiros quilometros. Daí, para baixo, são as ondas sísmicas que revelam conhecimentos sobre o interior de nosso Planeta.

A propagação das ondas sísmicas produzidas pelos terremotos varia de velocidade e de trajetória em função das características do meio elástico em que trafegam. A correta interpretação do registro dessas ondas, através dos sismogramas, permite inferir valores de velocidade e densidade tanto em rochas no estado sólido, ou parcialmente fundidas, como naquelas situadas próximas da superfície ou em grandes profundidades. Dessa forma, é possível comprovar suposições sobre o estado dessas estruturas internas.

Esta é a imagem que se tem sobre o interior da Terra, baseada principalmente nos conhecimentos da sismologia, está sumarizada na figura ao lado.
A Terra possui três principais geosferas: a Crosta, o Manto e o Núcleo, descobertas pela análise da refração e da reflexão de ondas P e S.

sexta-feira, 4 de março de 2011

Brasil no ranking do reflorestamento

O Brasil já plantou 16 milhões de árvores neste ano e garantiu uma vaga entre os maiores reflorestadores do mundo, de acordo com a Unep, a agência ambiental da Organização das Nações Unidas (ONU).

As informações fazem parte da iniciativa da ONU de plantar 1 bilhão de árvores em 2007 – proposta pela ambientalista queniana Wangari Maathai, ganhadora do Nobel da Paz de 2004 – e já superada no ano.

A agência informou que mais de 1,5 bilhão de árvores foram plantadas.

"A iniciativa para catalizar o compromisso com a plantação de um bilhão de árvores foi bem-sucedida e inclusive ultrapassou a sua meta", disse o diretor da Unep, Achim Steiner.

A agência da ONU afirmou que a Etiópia foi a líder do ranking, com 700 milhões de árvores plantadas. O país hoje tem uma cobertura florestal de apenas 3% do seu território. Há alguns séculos, as florestas ocupavam 40% da área.

'Entusiasmo'

Entre os outros campeões do replantio em 2007 estão: México, com 217 milhões; Turquia, com 150 milhões; Quênia, cem milhões; Cuba, mais de 96 milhões; Ruanda, 50 milhões; Coréia do Sul, 43 milhões; Tunísia, 21 milhões; Marrocos e Mianmar, 20 milhões; e finalmente, Brasil, com 16 milhões.

Os países em desenvolvimento e pobres deixaram para trás os países ricos da Europa e da América do Norte, de acordo com os dados da Unep.

A Europa responde por pouco mais de 10% do total plantado, já a América do Norte, por apenas, 5,6%. A África foi o continente que mais plantou, com 60,4% do total.

Em seguida, vem a América Latina, com 27,4%.

A agência da ONU ressaltou o "entusiasmo" de cidadãos que, segundo a Unep, correspondem a metade dos plantadores. As empresas respondem por outros 13% do plantio.

A Unep destacou também que os governos da China, da Guatemala e da Espanha ainda não anunciaram o número de árvores plantadas no ano, mas devem acrescentar milhões à lista.

A Indonésia também anunciou que vai plantar 80 milhões de árvores antes do início da conferência sobre Mudança Climática da ONU, em Bali, na semana que vem.

A reunião vai discutir as bases de um acordo para limitar as emissões de gases do efeito estufa a partir de 2012, quando vence o Protocolo de Kyoto, que vigora atualmente e prevê reduções de emissões de carbono de 5% em relação aos níveis de 1990 até 2012.

A iniciativa do bilhão de árvores foi lançada há um ano, em Nairóbi, no Quênia.



Fonte: www.bbc.co.uk/portuguese

domingo, 20 de fevereiro de 2011

sexta-feira, 11 de fevereiro de 2011

T: Toma o que pode ser teu

T: Toma o que pode ser teu: "Não acreditamos em 'não tem como conseguir', 'eu não consigo fazer', 'isto não é para mim'. Sem dúvidas sabemos que estas afirmativas não fo..."

quinta-feira, 10 de fevereiro de 2011

A revolta das mídias sociais

Por Luciano Martins Costa, do Observatório da Imprensa

Os jornais produzem nas edições de quarta-feira (9/2) um pequeno mosaico sobre as tecnologias digitais e sua relação com a comunicação jornalística. Nada muito revelador, apenas alguns registros para serem acrescentados à coleção de informações que ajudam a entender este período de transição em que vivemos.

Em algum ponto no futuro, pesquisadores poderão usar as informações de hoje para desenhar um retrato do mundo nesta segunda década do século 21.

Os jornais dizem, por exemplo, que no Brasil já se pode pagar contas e até confessar pecados através do telefone celular. O uso do confessionário online, que custa R$ 1,99, é feito por meio de um aplicativo do iPhone aprovado pela igreja católica.

Também há uma pesquisa, publicada no Estado de S.Paulo, dizendo que as mídias sociais ainda são totalmente pautadas pela mídia tradicional, funcionando basicamente como caixas de ressonância do que sai na velha imprensa. O estudo, intitulado "Verdades, Mentiras & Mídias Sociais", foi realizado pela agência de publicidade JWT e demonstra, segundo o Estadão, que as mídias sociais sofrem grande influência das mídias tradicionais e que o contrário não acontece, ou seja, jornais, rádio e TV não costumam ser pautados pelo Twitter ou pelo Facebook.

O que faz a diferença

A observação é interessante mas pode induzir a conclusões perigosas: como se sabe, uma das principais características dos novos meios é a capacidade de mudar repentinamente os hábitos de seus usuários. Além disso, como se pode afirmar que um colunista ou editor de jornal não é informado por mensagens que recebe através dos meios digitais?

Observe-se, por exemplo, que a revolta no Egito foi organizada através das redes sociais online e que, até agora, os meios digitais cumprem importante papel na guerra midiática contra o governo, apesar da grande exclusão digital no país – apenas 20 milhões dos 80 milhões de egípcios têm acesso à internet.

Enquanto a internet esteve bloqueada, os jovens manifestantes produziam imagens das manifestações através de seus celulares e entregavam cópias para jornalistas estrangeiros. Dessa forma, conseguiram furar o isolamento midiático que o governo tentou impor ao país. Um dos mentores da revolta foi o diretor de Marketing do Google para o norte da África e o Oriente Médio, Wael Ghonim, tratado como herói pela multidão ao ser libertado da prisão.

Os fatos no Egito mostram que a mídia digital não apenas funciona como veículo de informação – também pode ser usada como meio de expressão amplo e irrestrito da vontade e da opinião das pessoas. Essa é a diferença em relação às mídias tradicionais, que funcionam em mão única.


(Envolverde/Observatório da Imprensa)

terça-feira, 18 de janeiro de 2011

Catástrofe na natureza

É lamnetável saber de tantas vítimas inclusive o número extremamente alto de óbitos. Mas, a natureza faz asua trajetória, tem seu caminho. Não pode se negar que as alterações climáticas permitem os excessos, como por exemplo, chover quantidade de água de 1 mês em um dia. Isto sem dúvidas é extremamente incontrolável par os homens. Porém, a trajetória das águas já estavam previstas. O homem constrói barragens, desvia leitos de rios e outras ações, acreditando contrlar. ÉH, não pode.

segunda-feira, 10 de janeiro de 2011

SUSTENTABILIDADE AMBIENTAL

A sustentabilidade é um ideal sistemático que se perfaz principalmente pela ação, e pela constante busca entre desenvolvimento econômico e ao mesmo tempo preservação do ecossistema. Podem-se citar medidas que estão no centro da questão da sustentabilidade ambiental: a aquisição de medidas que sejam realistas para os setores das atividades humanas.

Os pontos elementares da sustentabilidade visam à própria sobrevivência no planeta, tanto no presente quanto no futuro. Esses princípios são: utilização de fontes energéticas que sejam renováveis, em detrimento das não renováveis.

Pode-se exemplificar esse conceito com a medida e com o investimento que vem sido adotado no Brasil com relação ao biocombustível, que por mais que não tenha mínina autonomia para substituir o petróleo, ao menos visa reduzir seus usos. O segundo princípio refere-se ao uso moderado de toda e qualquer fonte renovável, nunca extrapolando o que ela pode render. Em um quadro mais geral, pode-se fundamentar a sustentabilidade ambiental como um meio de amenizar (a curto e longo prazo simultaneamente) os danos provocados no passado. A sustentabilidade ambiental também se correlaciona com os outros diversos setores da atividade humana, como o industrial, por exemplo.

A sua aplicação pode ser feita em diversos níveis: a adoção de fonte de energias limpas está entre as preocupações centrais, algumas empresas tem desenvolvidos projetos de sustentabilidade voltando-se para aproveitamento do gás liberado em aterros sanitários, dando energia para populações que habitam proximamente a esses locais. Outro exemplo de sua aplicação está em empresas, como algumas brasileiras de cosméticos, que objetivam a extração cem por cento renováveis de seus produtos. O replantio de áreas degradadas, assim como a elaboração de projetos que visem áreas áridas e com acentuada urgência de tratamento são mais exemplos que já vêm sido tomados.

Pode-se afirmar que as medidas estatais corroboram perceptivelmente com a sustentabilidade ambiental. Sendo necessário não apenas um investimento capital em tecnologias que viabilizem a extração e o desenvolvimento sustentável, mas também conta com atitudes sistemáticas em diversos órgãos sociais e políticos. Como por exemplo, a propaganda, a educação e a lei

quarta-feira, 5 de janeiro de 2011

Aquecimento Global

Todos os dias acompanhamos na televisão, nos jornais e revistas as catástrofes climáticas e as mudanças que estão ocorrendo, rapidamente, no clima mundial. Nunca se viu mudanças tão rápidas e com efeitos devastadores como tem ocorrido nos últimos anos.
A Europa tem sido castigada por ondas de calor de até 40 graus centígrados, ciclones atingem o Brasil (principalmente a costa sul e sudeste), o número de desertos aumenta a cada dia, fortes furacões causam mortes e destruição em várias regiões do planeta e as calotas polares estão derretendo (fator que pode ocasionar o avanço dos oceanos sobre cidades litorâneas). O que pode estar provocando tudo isso? Os cientistas são unânimes em afirmar que o aquecimento global está relacionado a todos estes acontecimentos
Pesquisadores do clima mundial afirmam que este aquecimento global está ocorrendo em função do aumento da emissão de gases poluentes, principalmente, derivados da queima de combustíveis fósseis (gasolina, diesel, etc), na atmosfera. Estes gases (ozônio, dióxido de carbono, metano, óxido nitroso e  monóxido de carbono) formam uma camada de poluentes, de difícil dispersão, causando o famoso efeito estufa. Este fenômeno ocorre, pois, estes gases absorvem grande parte da radiação infra-vermelha emitida pela Terra, dificultando a dispersão do calor.
O desmatamento e a queimada de florestas e matas também colabora para este processo. Os raios do Sol atingem o solo e irradiam calor na atmosfera. Como esta camada de poluentes dificulta a dispersão do calor, o resultado é o aumento da temperatura global. Embora este fenômeno ocorra de forma mais evidente nas grandes cidades, já se verifica suas conseqüências em nível global.

dollar- ganhe todo dia clicando

NOSSO ESPAÇO ONLINE